Marinheiros mercantes nos portos locais, independente de nacionalidade, credo religioso ou patente, com apoio social e espiritual.

O CAM é uma Agência de bem-estar que está fundamentada na Convenção OIT 163 “Sobre o bem-estar dos Trabalhadores Marítimos no Mar e no Porto”, ratificada pelo Brasil através do Decreto nº 2669, de 15 de Julho de 1998.

Anualmente a equipe do CAM visita cerca de 720 navios nos portos da Grande Vitória, atendendo cerca de 3.000 marinheiros mercantes, sem qualquer discriminação, com serviços gratuitos, visitação a bordo e orientação para suas atividades fora do navio. Suas principais atividades são: atendimento social, capelania, visitas aos marinheiros hospitalizados, assistência ao marinheiro e às suas necessidades materiais, econômicas e espirituais, além de disponibilizar internet gratuita e telefonia em um valor acessível. O CAM realiza uma campanha em conjunto com a Prefeitura de Vitória contra a exploração sexual de crianças e adolescentes nos portos locais, ajudando assim a fortalecer também a rede de proteção.

O CAM atua na promoção dos direitos humanos dos marinheiros. Num caso mais recente em que se fez relevante, a equipe do CAM foi acionada para socorrer um marinheiro que sofria uma crise renal bem no meio do pátio do Porto de Vitória. O capelão se dirigiu ao local e pode conversar em Inglês com o marinheiro e, a tempo, tomou providencias para que aquele fosse direcionado ao serviço público de saúde. Numa outra ocasião havia uma tripulação inteira nervosa por não ter tempo suficiente para sair do navio para fazer a compra de frutas e verduras, abastecimento para os próximos 20 dias de viagem. O capelão que foi a bordo ofereceu o transporte gratuitamente para levar 6 marinheiros a um mercado local para fazer a compra necessária; provimento para toda uma tripulação de 23 marinheiros! Os marinheiros hospitalizados também recebem atenção especial, pois com o apoio dos capelães podem se comunicar com a equipe médica, contribuindo para o seu restabelecimento.

Os capelães ajudam a acalmar, confortar e encorajar os marinheiros que se encontram hospitalizados. Em um desses atendimentos foi encontrado um jovem marinheiro chinês, que, muito nervoso, tentou por diversas vezes fugir do hospital na Grande Vitória; mas, com a visita e aconselhamento da capelania do CAM, ele se acalmou e cumpriu toda a sua internação sem causar maiores transtornos.